O elo mais fraco

Autor: 
Marshall Brain,Tom Harris

Na página anterior vimos que a chave correta posiciona os pinos em uma fechadura com pino e tranqueta, de modo a todos os pinos inferiores ficarem dentro do miolo do cilindro e todos os superiores ficarem no alojamento do cilindro. Para violar esse tipo de fechadura, você deve mover cada par de pinos para a posição correta, um por um.

Há dois elementos primordiais envolvidos no processo de violação das fechaduras:

  • Hastes de ponta côncava - essas hastes são tubos de metal longos e finos com uma ponta côncava (como o aparelho do dentista). São usadas para alcançar o interior da fechadura e empurrar os pinos para cima.
  • Alavanca tensionadora - as alavancas tensionadoras são confeccionadas em todos os formatos e tamanhos. Do ponto de vista funcional, elas não são muito complexas. O tipo mais simples de alavanca tensionadora é uma chave de fenda fina.

A primeira etapa para violar uma fechadura é introduzir a alavanca tensionadora no buraco da fechadura e girá-la na mesma direção usada para girar a chave. Isso gira o cilindro, de modo que ele fica levemente deslocado do suporte ao redor dele. Como você pode ver pelo diagrama abaixo, isso cria uma pequena saliência nos eixos dos pinos.

Enquanto você aplica pressão sobre o cilindro, introduza uma haste de ponta côncava no buraco da fechadura e comece a levantar os pinos. O objetivo é levantar cada par de pinos até a posição na qual o pino superior se mova completamente para o suporte, como se fosse empurrado pela chave correta. Ao fazer isso, enquanto vai aplicando pressão com a chave tensionadora, você sente ou escuta um leve clique quando o pino cai na posição. Esse é o som do pino superior encaixando na saliência do eixo. A saliência mantém o pino superior preso no suporte; assim, ele não cairá novamente dentro do cilindro.

Desse modo, você move cada par de pinos para a posição correta até que todos os pinos superiores sejam empurrados completamente para o suporte e todos os pinos inferiores fiquem dentro do cilindro. Nesse ponto, o cilindro gira livremente e você pode abrir a fechadura.

Conceitualmente, violar fechaduras é bastante simples, mas é uma habilidade muito difícil de se dominar. Os chaveiros têm de aprender exatamente qual é a pressão correta a ser aplicada e que sons escutar. Eles também devem afiar seu tato até o ponto de poder sentir a leve força dos pinos e cilindro móveis. Além disso,devem aprender a imaginar todas as peças dentro da fechadura. A violação de fechadura bem-sucedida depende da completa familiaridade com o modelo da fechadura.

Uma outra técnica é a extração. A extração é muito menos precisa do que a verdadeira violação. Para extrair uma fechadura, você insere uma haste com uma ponta mais larga até chegar na parte traseira do cilindro. Então, você puxa a haste rapidamente, de modo que ela jogue todos os pinos para cima quando estiver saindo.

Quando a haste sair, gire o cilindro com a alavanca tensionadora. Como estão se movimentando para cima e para baixo, alguns dos pinos superiores forçosamente cairão sobre a saliência criada pela rotação do cilindro. Freqüentemente, os chaveiros começam aplicando a extração sobre os pinos e depois trabalham cada pino individualmente.

Fechaduras com núcleo de placas e fechaduras tubulares
Na última seção, vimos as fechaduras cilíndricas com pino e tranqueta. Você encontrará esse tipo de fechadura em todos os lugares, desde casas até cadeados. Essas fechaduras são muito populares por serem relativamente baratas - e razoavelmente seguras. Para uma fechadura normal do tipo pino e tranqueta com cinco pinos, existe, aproximadamente, um milhão de combinações de pinos diferentes. Se você considerar a quantidade de empresas e modelos de fechaduras, as chances de um criminoso ter a mesma chave que você são bastante remotas.


Fechadura cilíndrica de pino e tranqueta

Um outro tipo comum de fechadura cilíndrica é a fechadura com núcleo de placas. Essas fechaduras funcionam basicamente do mesmo jeito que aquelas com pino e tranqueta, mas têm tranquetas em forma de placas no lugar dos pinos. Você manuseia as placas exatamente do mesmo modo que os pinos - na verdade, é até mais fácil manusear fechaduras com núcleo de placas porque o buraco da fechadura é mais largo.

Alguns modelos usam placas simples em vez de pares de placas. Essas placas são acionadas com molas para que podem se estender para fora do cilindro, prendendo o suporte da fechadura. As placas têm um buraco no centro para que a chave seja encaixada. A chave correta puxa as placas para baixo o suficiente para que todas fiquem recolhidas dentro do cilindro; a incorreta puxa as placas para baixo somente por uma parte do caminho as puxa muito para baixo, fazendo que se estendam até o outro lado do cilindro.


Fechadura cilíndrica com núcleo de placas

Fechaduras com placas duplas têm núcleo de placas nas duas extremidades do cilindro. Para abrir essas fechaduras, você tem de acessar as placas nos dois lados enquanto aplica pressão com a alavanca tensionadora. As fechaduras de placas são encontradas na maioria dos arquivos, armários e carros, e em muitos modelos de cadeados.

As fechaduras tubulares oferecem proteção superior às fechaduras com pino e tranqueta e às com núcleo de placas, mas são bem mais caras. Em vez de uma fileira de pinos, as fechaduras tubulares têm pinos posicionados ao redor da circunferência do núcleo do cilindro. Isso faz com que sejam mais difíceis de ser violadas. As técnicas convencionais para violação de fechaduras geralmente não funcionam nesse tipo de fechadura.

Algumas fechaduras com pino e tranqueta modificaram os pinos para tornar a violação mais difícil. Na variação mais comum, os pinos superiores têm a cabeça no formato de um cogumelo. Esse formato estranho faz com que o cilindro se desloque antes, de modo que não é possível empurrar o pino superior totalmente para cima. Isso faz com que fique mais difícil colocar os pinos em posição e seja mais difícil perceber pelo tato o que está acontecendo dentro da fechadura.