Como funcionam as piscinas

Autor: 
Tom Harris

piscinas

Conceitualmente, as piscinas são muito simples: não passam de enormes bacias de água. Mas, em um dia de verão, a piscina muitas vezes parece ser a maior invenção da história da humanidade. De fato, há muita tecnologia em uma piscina. Muito mais do que você imagina!

Neste artigo, descobriremos como as piscinas são construídas e conheceremos um pouco sobre o sistema de encanamento que mantém a água limpa e quimicamente balanceada.

Fundamentos da piscina
Existem piscinas de todas as formas e tamanhos, mas quase todas, da piscina pessoal à piscina de onda do parque aquático, funcionam da mesma maneira. Elas utilizam uma combinação de filtragem e tratamento químico para limpar continuamente um grande volume de água.

Um complexo de piscinas sob construção: parece

um grande buraco no chão, mas é muito mais do que isso

Uma piscina precisa de sete componentes principais:

 

  • a bacia;
  • uma bomba motorizada;
  • um filtro de água;
  • um alimentador químico;
  • drenos;
  • retornos;
  • conectores de PVC unindo todos esses elementos.

Um sistema de piscina comum


A idéia básica é bombear água em um ciclo contínuo a partir da piscina, passando pelos sistemas de filtragem e tratamento químico e, finalmente, de volta à piscina. Desta maneira, o sistema de bombeamento mantém a água da piscina relativamente livre de sujeira, restos e bactérias. Algumas piscinas também incluem aquecedores, para manter a água em uma determinada temperatura.

Tipos de piscinas
A principal diferença entre tipos diferentes de piscinas é como a bacia é construída. Existem vários estilos diferentes de piscinas, cada um com suas vantagens e desvantagens.

  • As piscinas acima do nível do chão são a opção mais barata e mais fácil para construção. Muitas dessas piscinas são feitas a partir de kits pré-fabricados, que até um amador pode montar, embora a maioria das pessoas prefira contratar profissionais. Primeiro, os instaladores levantam uma parte para formar uma superfície plana para a construção. Em seguida, eles montam uma trilha de perímetro que suporta a parede exterior feita de metal, plástico ou madeira. Depois, eles jogam areia na área da piscina e colocam a bomba. Finalmente, prendem o alinhador de vinil nas paredes da piscina, enchem-na de água, afrouxam o alinhador e colocam-no em seu lugar. Assim que eles conectam a bomba e o sistema de filtragem, a piscina está pronta. A principal desvantagem deste tipo é a durabilidade e, geralmente, atratividade inferior aos outros modelos. É também menos permanente, o que pode ser bom porque é relativamente fácil desmontá-la e movê-la para um novo local.

     

  • As piscinas de fibra de vidro são feitas de plástico reforçado com fibras de vidro, moldadas em forma de bacia. Para a instalação, uma equipe de construção cava um buraco no tamanho apropriado, coloca as bombas necessárias, enche com um pouco de areia e desce a estrutura pré-construída para dentro do buraco. Em seguida, eles nivelam a piscina, engancham todas as bombas e fecham a área ao seu redor. Geralmente, é rodeada por uma estrutura de concreto.

     

  • As piscinas alinhadas por vinil embutidas são estruturalmente muito parecidas com as anteriormente descritas, mas se parecem mais com modelos convencionais embutidos. A equipe de construção cava um buraco e monta a estrutura de metal, plástico ou madeira em todo o perímetro do buraco. Como em uma piscina não-embutida, a equipe coloca areia no fundo do buraco e fixa o alinhamento de vinil na parede estrutural. Essas piscinas são muito mais baratas do que outros modelos embutidos, porém não tão duráveis. Em geral, o alinhador precisa ser substituído aproximadamente a cada dez anos.

     

  • As piscinas Gunite são o modelo mais popular na maior parte dos Estados Unidos. Para construir, a equipe cava um buraco, coloca a bomba no lugar e monta uma grade estrutural com hastes de aço reforçadoras de 0,07/0,2 m (estrutura montada). As hastes possuem espaçamento de 2,5 m e são presas com arame. Quando a grade estiver no lugar, a equipe joga uma cobertura pesada de gunite, uma mistura de cimento e areia, ao redor da estrutura montada. O spray combina gunite seco misturado com água antes de ser borrifado: isso produz o concreto líquido. A equipe aplica o gunite e deixa secar por uma semana antes de aplicar o acabamento à superfície. O acabamento mais popular chama-se emplastro (uma mistura de cimento e areia branca), mas muitas pessoas fazem o acabamento com tintura de concreto especial, ladrilho, pedras ou mesmo fibras de vidro. As piscinas de gunite (e suas semelhantes, as piscinas shotcrete) são altamente duráveis e podem ser construídas em qualquer tamanho ou modelo.

     

  • As piscinas de concreto armado são semelhantes às piscinas de gunite, mas são muito mais difíceis de construir. Em vez de borrifar material de concreto em volta da estrutura, o concreto é derramado dentro de formas convencionais de madeira. Com o surgimento dos métodos de gunite, a construção de piscinas de concreto armado foi deixada de lado. Em piscinas de blocos de alvenaria, as paredes são construídas com blocos de concreto.

Embora os modelos destas piscinas sejam bem diferentes, eles se baseiam nos mesmos sistemas de bombeamento e filtragem. Nas próximas seções, veremos como esses componentes mantêm a piscina funcionando.

Piscina flutuante
Uma piscina embutida pode parecer uma estrutura sólida e imóvel, porém pode ser comparada com um barco, já que pode flutuar na água que fica ao seu redor. Quando a piscina está vazia, a pressão dessa água pode empurrar a estrutura para cima e assim desembuti-la. Como a pressão precisa ser igual em cada lado da piscina, este é um dos motivos pelos quais as piscinas são mantidas cheias de água o tempo todo.

Piscinas embutidas mais modernas possuem uma válvula hidrostática perto do dreno principal para prevenir danos causados pela pressão da água no chão. Basicamente, se essa pressão da água for grande o suficiente, causará uma leve flutuação, que abrirá a válvula. Quando a válvula abrir, a água entrará e igualará a pressão.