ONU aconselha população a diminuir crescimento

Autor: 
Mariana Noffs

 

A China pode enfrentar problemas como uma força de trabalho menor, constituída de filhos únicos e de uma grande população envelhecida.
Enge © iStockphoto.com

Novo relatório da ONU diz que a taxa de crescimento da população deve diminuir significativamente para evitar chegar a níveis insustentáveis. Isso significa que a fertilidade deve diminuir para menos que os "níveis de reposição", e manter-se baixa por um longo tempo. Esse nível de reposição é quando cada casal tem pelo menos dois filhos, para "repor" o mesmo número de pessoas que devem morrer até a próxima geração.

Segundo artigo da BBC, a população mundial chegará a 7 bilhões no final deste ano e a previsão é que esse número dobre até 2100 se providências não forem tomadas. A preocupação é maior com os países menos desenvolvidos, que crescem no ritmo mais acelerado e já são os mais vulneráveis à fome. A Divisão de População das Nações Unidas produziu seis projeções de potenciais mudanças futuras na população baseadas em diferentes mudanças do nível de fertilidade e outros fatores. No cenário médio, a população mundial chega ao seu pico de 9,4 bilhões em 2070 e então começa a diminuir. Mas, para isso acontecer, a fertilidade precisa cair drasticamente na maioria dos países em desenvolvimento.

Ultimamente, esse cenário tem sido aceito como o mais provável. "Não há garantias de que esse cenário se torne realidade porque os países com alta fertilidade podem não diminuir as taxas rápido o suficiente, e os países com taxas de fertilidade intermediárias podem estagnar a níveis acima do de reposição", diz Hania Zlotnik, diretor da Divisão de População das Nações Unidas. Ou seja, mesmo os países com taxas intermediárias de fertilidade precisam reduzir o número de filhos.

O cenário pessimista, em que a fertilidade continua entre 2,2 e 2,3 filhos por mulher, levaria a uma população de quase 30 bilhões de pessoas em 2300. Mesmo que a redução das taxas de fertilidade seja inevitável, é preciso um esforço extra durante as próximas décadas para que o melhor cenário seja possível.

Artigos relacionados

 

Publicado em 03/02/2011