Aquecendo uma estufa

Autor: 
Sara Elliott

As estufas criam um ambiente abrigado para as plantas com o uso da radiação solar para captarem o calor. Este sistema de aquecimento e circulação do ar ajuda a criar um ambiente artificial em uma estufa que consegue manter as plantas quando a temperatura do lado de fora for muito fria ou variável. O calor entra na estufa através da cobertura de vidro ou plástico e começa a aquecer os objetos, o solo e as plantas que estão nela. O ar aquecido próximo do solo sobe e é imediatamente substituído por um ar mais resfriado que começa a ser aquecido. Este ciclo faz a temperatura da estufa aumentar mais rapidamente do que o ar do lado de fora, criando um microclima abrigado e mais aquecido.

Em climas temperados, o sol pode fazer todo o aquecimento da estufa, mas quando as temperaturas caem, o calor artificial pode ser necessário para manter as temperaturas acima do congelamento. Onde algumas estufas possuem acesso ao calor central da estrutura principal, outras precisam recorrer ao gás natural ou envasado, condutores ou ventiladores de aquecimento. Eles geralmente trabalham em conjunto com um termostato. Por causa do calor ser uma das maiores despesas para manter uma estufa, outras fontes de energia sempre são exploradas, como o uso de baterias solares ou animais como fontes de calor.

estufa
© istockphoto.com / Lidian Neeleman

 

Também existem outros processos que agem sobre o ar contido numa estufa. A energia solar consegue atravessar o vidro da estufa com facilidade, mas a radiação emitida pelas plantas e o solo que absorveu o calor não saem tão facilmente assim, ajudando a manter o calor dentro dela.

Isso possibilita manter uma estufa aquecida, mas também pode causar problemas com superaquecimento. Para evitar que as plantas aqueçam demais, algum método de controle é necessário. Aberturas que permitem que o ar mais leve e mais quente saia da estufa pelo teto e o ar resfriado entre mais perto do nível do chão agem como os condicionadores de ar. Uma ventilação adequada mantém o ar da estufa circulando. Isso ajuda a manter uma temperatura estável e também realiza o ciclo do dióxido de carbono (CO2) que as plantas precisam para a fotossíntese [fonte: Martell - em inglês]. Geralmente, as estufas possuem pelo menos duas aberturas para ventilação, uma no teto ou próxima dele e uma na parte mais baixa da estrutura. Ventiladores mecânicos também ajudam a manter o bom fluxo de ar e o controle de calor, abrindo e fechando as saídas de ar automaticamente quando a temperatura da estufa muda.

Estufas incomuns

As estufas
estão sendo adaptadas para resistirem a ambientes extremos - da estufa da National Science
Foundation, na Antártida,
às pesquisas em andamento da NASA sobre manter estufas de baixa pressão na lua e em Marte. Enquanto o homem extrapola os limites dos ambientes dos humanos,
as estufas seguem com ele.

 

E é claro, todas as plantas de uma estufa requerem algum tipo de água. Seja uma mangueira de jardim, um regador ou um sofisticado sistema automatizado com sensores, a água é essencial numa estufa. Por causa da tarefa de regar ser a que mais consome tempo em uma estufa, o uso de algum tipo de sistema automatizado, como pavios, tapetes capilares ou irrigação em gotas pode tornar o processo mais consistente e confiável.

Na próxima página, exploraremos diferentes tipos de estufas e a relação que possuem com as plantas que elas mantêm.