Fazendo um projeto com árvores, arbustos e trepadeiras

Autor: 
C. Burrell

Plantas lenhosas são uma presença permanente no paisagismo. Essa permanência ajuda a determinar seus usos principais.

Considere a área externa como se fosse uma sala de estar. O piso seria formado pelas plantas de crescimento lento e as construções baixas do solo, como gramados, forrações, pátios e calçadas. Eles formam a base de qualquer paisagismo. E quanto ao resto da área, às paredes e ao teto? É aí que entram em cena as árvores, arbustos e trepadeiras.

Paredes

Os arbustos e as trepadeiras formam as paredes da sala, assim como construções relacionadas, como as cercas. Eles ajudam a definir seus limites, separando seu quintal do terreno do vizinho e uma área do jardim da outra. Isso é mais óbvio quando as plantas crescem formando uma cerca viva, mas arbustos plantados de modo informal também ajudarão a definir os limites entre áreas diferentes.

Bordaduras feitas de arbustos formam uma parede que dá privacidade.
2006 Publications International, Ltd.
O agrupamento de pequenos arbustos floridos funciona como uma parede

Um simples agrupamento de arbustos, por exemplo, pode separar a área de recreação das crianças de uma área tranqüila ou da área de serviço com seus baldes, latas de lixo e varais. As cercas-vivas formais, devido à barreira óbvia que criam, são usadas com mais freqüência para definir as linhas da propriedade.

Os arbustos também oferecem uma barreira para privacidade ou podem esconder cenários feios. Os arbustos que perdem as folhas no inverno são boas escolhas para barreira: oferecem privacidade durante os meses de verão e durante o inverno permitem penetração da máxima quantidade de luz do sol no seu jardim, uma estação onde a luz é muito desejada. Se a meta da barreira é bloquear uma vista indesejável, espécies sempre-verdes (coníferas e plantas de folhas largas) são a melhor escolha, já que sua cobertura é permanente. Arbustos mais altos podem também ser usados como quebra-vento ou para criar um pouco de sombra em um local excessivamente ensolarado.

As trepadeiras são usadas de modo parecido com os arbustos, exceto por precisarem se apoiar em algum tipo de suporte para crescerem, como uma cerca ou treliça. Uma cerca viva pode precisar de vários anos para crescer até uma altura suficiente para bloquear uma visão. Você pode criar o mesmo efeito em um ou dois anos plantando uma trepadeira na base de uma cerca. Se você não puder construir uma cerca atraente, uma de tela de arame com as trepadeiras plantadas na base oferecerá segurança, sem causar obstrução.

As trepadeiras são úteis também em locais com pouco espaço. A maioria dos arbustos rapidamente atinge um diâmetro de 1 a 1,5 metro. Isso pode parecer desperdício de espaço em um pequeno jardim urbano. As trepadeiras crescem verticalmente: a maioria se agarra tão perto do suporte que ocupa apenas alguns centímetros do espaço horizontal.
Pensando em segurança, você pode desejar uma parede composta de plantas com folhas ou galhos espinhosos. Uma cerca viva de espinho de fogo ou bérberis, por exemplo, pode ser uma barreira tão efetiva quanto uma cerca de tela de arame, mas muito mais atraente.

Teto

Depois de ter cuidado do "piso" e das "paredes", a sala de estar ao ar livre precisa de um teto. Embora o céu possa servir como teto externo, pode ser grande demais para ser apropriado. A vastidão do céu tira do jardim a sensação de intimidade.

As árvores definem o teto.
2006 Publications International, Ltd.
Essa árvore define o teto

As árvores bloqueiam parte do céu, definindo os limites dele. As árvores também contribuem para estruturar o jardim. Os troncos e galhos agem como pilares e vigas para rebaixar o céu até uma escala mais humana. Para manejar o céu, as árvores têm um papel importante em todos os jardins, mesmo no menor deles.

As árvores têm também outros usos. Nenhuma outra característica das árvores é tão óbvia em um jardim quanto a sombra que elas proporcionam. Através de sua capacidade de filtrar a luz do sol e refrescar o ar através da evaporação e transpiração, as folhas podem reduzir a temperatura em até 6ºC em um dia quente de verão. As sombras também protegem do excesso de sol que pode incomodar seus olhos e ser perigoso para a pele. Assim, todo jardim deve ter pelo menos um recanto ensolarado. Algumas árvores são conhecidas como "árvores de sombra". Essas são geralmente mais altas, com uma copa larga. Árvores menores podem também prover bastante sombra, embora você talvez prefira remover alguns dos galhos mais baixos para poder se sentar embaixo dela.

Juntando tudo

Com a estrutura da sua "sala de estar" (piso, paredes e teto externo) agora claramente definida pelos gramados e plantas lenhosas existentes, você tem a base para construir seu jardim. Tudo o que falta é acrescentar a "mobília": canteiros de flores, plantas esculturais, etc.

Definindo as plantas lenhosas

Existem plantas lenhosas de todas as formas e tamanhos, desde aquelas altas e eretas até as baixas e rasteiras. Além de produzir madeira, essas plantas têm uma coisa em comum: caules persistentes, significando que sobrevivem de um ano para o próximo. Isso distingue as plantas lenhosas das plantas perenes herbáceas (não-lenhosas), que secam e rebrotam a cada ano. Embora muitas plantas lenhosas percam suas folhas no inverno e nas estações secas, os caules sobrevivem e produzem novas folhas no ano seguinte. Árvores, arbustos e a maior parte das trepadeiras são plantas lenhosas, mas a distinção entre cada grupo nem sempre é clara.

Árvores ou arbustos

Embora a maioria das pessoas reconheça uma árvore assim que a vê, definir o que é ou não é uma árvore não é fácil. Isso é válido particularmente ao fazer a distinção entre um arbusto alto e uma árvore baixa.

Uma definição comum de árvore é uma planta perene com apenas um caule lenhoso (o tronco) no solo. O tamanho não é um fator determinante nessa definição. Uma árvore pode atingir 30 metros ou mais de altura ou apenas 30 centímetros nas miniaturas. Na prática, contudo, uma árvore muito pequena provavelmente será tratada como um arbusto. Os arbustos lenhosos têm vários troncos saindo do solo e são geralmente menores, com cerca de 1 a 3 metros de altura. Há muitas exceções óbvias, como árvores com múltiplos troncos que podem ser difíceis de distinguir dos arbustos altos. Outras plantas podem ser árvores ou arbustos dependendo do modo como crescem. Essas definições gerais, contudo, ajudam a distinguir entre os dois grupos.

A poda nesta árvore ajuda a definir o jardim.
2006 Publications International, Ltd.
A poda nesta árvore ajuda a definir o jardim

As pessoas também influenciam o crescimento das plantas através da poda e outras práticas. Por exemplo, um jardineiro pode podar todos os caules secundários de um arbusto e deixar de um a três troncos, criando assim um "padrão" (arbusto de três formas). Um jardineiro pode também cortar repetidamente as árvores novas, forçando-as a se ramificar na base e transformando-as assim em arbustos. A natureza faz a mesma coisa. Algumas plantas que normalmente crescem como árvores tomarão a forma de arbusto nos limites ao norte das regiões onde podem crescer. A cada inverno a parte de cima que cresceu é aparada pelo frio, fazendo com que desenvolvam múltiplos ramos ao invés de um tronco principal. Os subarbustos são geralmente tratados como perenes. Alguns arbustos verdadeiros, como o arbusto borboleta, se comportarão como subarbustos em condições climáticas extremas.

Trepadeiras

As trepadeiras podem ser divididas em três categorias principais: trepadeiras lenhosas, com troncos permanentes acima do solo; trepadeiras perenes, que secam no inverno e brotam novamente no verão; e trepadeiras anuais, que começam do zero a cada vez em que são semeadas anualmente. Uma trepadeira lenhosa pode ser considerada um arbusto que precisa de algum tipo de suporte para crescer bem. Algumas delas (incluindo muitos tipos de clematites) secam todo ano, exatamente como os arbustos, especialmente em condições climáticas extremas. Nesta seção abordaremos apenas as trepadeiras lenhosas.

Decíduas ou sempre-verdes

Árvores, arbustos e trepadeiras lenhosas são classificadas como decíduas ou sempre-verdes. As plantas lenhosas decíduas geralmente perdem as folhas no outono. Nos climas mais amenos a perda de folhas pode ocorrer em outras épocas do ano, principalmente, no início da estação seca. As plantas sempre-verdes permanecem vestidas de folhagem durante o ano inteiro. Elas também perdem folhas, porém, gradualmente e não todas ao mesmo tempo, fazendo com que elas nunca fiquem completamente nuas. Algumas plantas lenhosas são classificadas como semiperenifólias. Suas folhas são persistentes na maioria das condições, mas caem em situações extremas, especialmente nos climas frios ou muito secos. As plantas decíduas geralmente têm cores atraentes no outono. As sempre-verdes mostram uma visão contínua de folhagem verde, mesmo quando as plantas decíduas estão nuas.

O termo "sempre-verdes" é geralmente mal interpretado como pertinente apenas às coníferas (plantas que formam um cone). Isso não é verdade. Há sempre-verdes de folhas largas, como as madeiras de buxo e a maioria dos rododendros, assim como coníferas decíduas, como a larix e o cipreste-calvo. Em muitos catálogos de plantas, as lenhosas estão divididas em três categorias com respeito à folhagem: decíduas, sempre-verdes de folhas largas e sempre-verdes com folhas estreitas.

Na próxima seção mostraremos a você algumas idéias de projeto para incorporar árvores, arbustos e trepadeiras no jardim.