Como fazer reparos elétricos em casa

Autor: 
Fix-It-Club

Os sistemas de luz e de água da sua casa são duas coisa distintas, mas há semelhanças significativas entre eles. A água entra na sua casa através de um cano sob pressão e, quando uma torneira é aberta, flui a uma determinada taxa (litros por minuto). A eletricidade entra na sua casa através de fios, também sob pressão (chamada voltagem, medida em volts). Quando um aparelho elétrico é ligado, a eletricidade flui a uma determinada taxa (a corrente, medida em ampères).

Ao contrário da água, que é utilizada do mesmo jeito que sai da torneira, a eletricidade deve fazer um trabalho: ela é convertida de energia em potência, medida em watts. Já que o consumo elétrico caseiro é relativamente alto, a unidade de medida mais usada é o quilowatt, que corresponde a mil watts. A quantidade total de energia utilizada em determinado período é medida em quilowatts-hora (kWh).

A empresa prestadora de energia participa do sistema elétrico da sua casa com a linha de transmissão e o medidor.
Publications International, Ltd., 2006.
A linha de transmissão (ou linha de fornecimento) e o medidor no sistema
elétrico de sua casa ficam a cargo da empresa prestadora de energia local.
 Daí em diante, o sistema é de sua responsabilidade.

O instrumento que registra a quantidade de eletricidade usada em sua casa é chamado medidor elétrico ou relógio. Esse medidor indica à empresa de eletricidade qual foi seu consumo e quanto eles precisam cobrar de você. Há dois tipos de medidores elétricos de uso geral. O primeiro mostra uma linha de pequenos discos com indicadores individuais. Cada disco do medidor registra os quilowatts-hora de energia elétrica. Por exemplo, se você deixa uma lâmpada de 100 W acesa durante 10 horas, o medidor registrará 1 quilowatt-hora (10 x 100 = 1.000 watts-hora ou 1 kWh). Cada disco registra certo número de quilowatts-hora de energia elétrica. Na maioria dos medidores, o disco mais à direita é o que conta quilowatts-hora individuais de 1 a 10; o próximo de 10 a 100; o terceiro acima de mil; o quarto acima de 10 mil; e o último  à esquerda conta quilowatts-hora acima de 100 mil. Se o ponteiro do disco estiver entre dois números, sempre deve ser lido o menor.

O segundo tipo de medidor desempenha a mesma função, mas, em vez de discos individuais, tem uma linha de números no mostrador, como um hodômetro de carro. Este medidor é lido da esquerda para a direita e os números indicam o total de consumo de eletricidade. Alguns medidores também utilizam um fator multiplicador. O número que aparece deve ser multiplicado por dez, por exemplo, para se ter o número real em quilowatts-hora. Agora que você sabe como ler seu medidor, pode verificar as cobranças em sua fatura e ficar mais atento ao consumo de energia elétrica em sua casa.

Três linhas principais (as casas mais velhas podem ter duas) são responsáveis por fornecer corrente alternada de 110-120/220-240 volts à sua casa. A voltagem exata varia em função de muitos fatores externos. Esse sistema triplo de fios fornece a você potência de 110-120 volts para iluminação, tomadas e pequenos eletrodomésticos e potência de 220-240 volts para condicionadores de ar, secadoras de roupa, aquecimento de água e, em algumas residências, aquecimento elétrico.

A eletricidade entra em sua casa através do equipamento da empresa de energia, que é apenas um aparelho desconector instalado em um local aprovado. É usado para desconectar o serviço do sistema elétrico interno. Geralmente chamado de fusível principal, disjuntor principal, desconector principal ou simplesmente "principal", esse desconector pode ser um conjunto de fusíveis destacáveis, um disjuntor ou um grande interruptor.

Embora os desconectores principais possam ser instalados fora de casa, em uma caixa impermeável, quase sempre eles ficam dentro de casa, em um local fechado que também contém os fusíveis ou disjuntores que controlam a distribuição de energia por toda a construção. É chamado de painel de entrada principal, quadro principal ou caixa de entrada. Os três fios do medidor entram nesta caixa. Dois deles (os fios pretos e vermelhos bem isolados) são anexados às pontas de um par paralelo de barras de cobre expostas, chamadas terminais, no centro da caixa. Estas duas linhas são os fios "ativos" ou "fases". O terceiro fio é o "neutro" e, em geral, está exposto. Ele está anexado a uma outra barra aterrada ou terminal, que é uma fita prateada da caixa principal. Na maioria das residências, este fio aterrado está conectado à terra através de um fio de cobre sólido preso a um cano de água ou a uma barra ou placa subterrânea.

Proteção de sobrecarga

A energia é distribuída para a sua casa através de vários circuitos elétricos que começam no painel de entrada principal. Os circuitos de 110-120 volts têm dois condutores: um fio neutro (branco) e um fio fase (preto). Os circuitos de 220-240 volts podem ter apenas dois fios fases ou ainda um terceiro fio neutro. Em todos os casos, os fios fases são ligados diretamente aos terminais fases principais. O fio neutro está sempre conectado ao terminal terra e nunca, em hipótese alguma, deve passar por um fusível ou disjuntor.

Os disjuntores são interruptores que desarmam automaticamente para interromper o fluxo de corrente elétrica quando há sobrecarga do circuito.
Publications International, Ltd., 2006.
Os disjuntores não queimam como os fusíveis. São interruptores que desarmam
automaticamente para interromper o fluxo de corrente elétrica quando há sobrecarga do circuito.

Os fusíveis e os disjuntores são dispositivos de segurança que fazem parte do sistema elétrico. Se não houvesse fusíveis ou disjuntores e você ligasse muitos aparelhos em um único circuito, o cabo que leva a energia para aquele circuito ficaria muito quente, sofreria um curto-circuito e, possivelmente, começaria um incêndio. Para evitar as sobrecargas elétricas, os disjuntores e os fusíveis são modelados para desarmar ou queimar, interrompendo o fluxo de corrente para o cabo sobrecarregado. Por exemplo, um disjuntor de 15 ampères deve desarmar quando a corrente que passa nele excede os 15 ampères. Do mesmo modo, um fusível de 20 ampères deve queimar quando a corrente excede sua amperagem. Um fusível que queima ou um interruptor que desarma não estão com defeito; estão cumprindo sua função de modo apropriado, indicando que há problemas em algum ponto do circuito. Um fusível queimado ou um disjuntor desarmado geralmente significam que há muitos aparelhos ligados naquele circuito ou que algum dispositivo defeituoso (como um eletrodoméstico com curto interno) está conectado ao circuito. Localize e elimine a causa do problema antes de substituir um fusível queimado ou religar um disjuntor desarmado.

Atenção: nunca tente desfazer este sistema de segurança integrado substituindo um fusível por um de maior capacidade de corrente. A capacidade do fusível ou do disjuntor deve ser igual ou menor do que a capacidade dos condutores. Por exemplo, não substitua um fusível de 15 ampères por um de 25 ampères. Substitua fusíveis e disjuntores apenas pelos de mesmo tamanho e amperagem.

Os disjuntores não queimam como os fusíveis; são interruptores que desarmam automaticamente para interromper o fluxo de corrente elétrica quando há sobrecarga do circuito. Antes de religar um disjuntor desarmado, desligue-o completamente.

Circuitos secundários e de alimentação

Os circuitos para todos os aparelhos da sua casa que necessitam de energia elétrica começam nos fusíveis ou nos disjuntores. Há dois tipos de circuitos: os secundários e os de alimentação. Os circuitos de alimentação utilizam cabos mais largos, que vão do painel de entrada principal aos painéis menores de distribuição, chamados de subpainéis ou centros de carga. Esses painéis auxiliares estão localizados em partes distantes de uma casa ou fora da construção. Eles são utilizados para a redistribuição de energia, como em uma garagem. Nem todas as residências têm circuitos de alimentação.

Todos os circuitos de uma residência que vão do painel de entrada principal ou de painéis menores para os vários pontos de uso são chamados de circuitos secundários. Para as necessidades de 110-120 volts, um circuito secundário se ramifica pelo disjuntor de um dos terminais principais e do terminal aterrado. Para 220-240 volts, muitos circuitos utilizam apenas os dois terminais principais. Mas todos os três fios são necessários para aparelhos que funcionem tanto em 110-120 como em 220-240 volts.

As casas mais novas têm três linhas de entrada de energia que fornecem corrente alternada de 110-120 e 220-240 volts.
Publications International, Ltd., 2006.
As casas mais novas têm três linhas de entrada de energia que fornecem corrente alternada
de 110-120 e 220-240 volts. Isso proporciona 110-120 volts para iluminação, tomadas
e pequenos eletrodomésticos e 220-240 volts para aparelhos mais pesados.

Os circuitos secundários de 110-120 volts atravessam os fusíveis ou disjuntores, que são classificados como de 15 ou de 20 ampères. Os circuitos secundários de 15 ampères vão para as luminárias de teto e para as tomadas de parede nos cômodos onde há aparelhos que demandam menos energia, como luminárias de mesa. Os circuitos maiores, de 20 ampères, vão para tomadas da cozinha, da sala de jantar e da lavanderia, onde são usados aparelhos pesados.

Um circuito de 15 ampères pode operar um total de 1800 watts, enquanto um de 20 ampères pode operar 2400 watts. Esses números, no entanto, representam circuitos completamente carregados. Na prática, você deveria limitar a carga de um circuito de 15 ampères a não mais que 1440 watts; a carga de uma linha de 20 ampères não deveria exceder os 1920 watts.

Como você pode saber a carga de um circuito? Some as potências em watt de todas as lâmpadas e aparelhos ligados naquele circuito. Quando computar a carga de cada circuito secundário, leve em conta aparelhos motorizados que consomem mais corrente quando o motor é iniciado do que quando está funcionando. Uma geladeira, por exemplo, pode consumir mais de 15 ampères inicialmente, mas logo se estabiliza em torno de 4. Suponha que a geladeira esteja ligada em um circuito secundário de 20 ampères e que uma torradeira elétrica de 1000 watts (que consome um pouco mais de 8 ampères) também esteja ligada a ele. Se o motor da geladeira for iniciado enquanto a torradeira estiver ligada, a carga total de corrente excederá a capacidade do circuito e o fusível irá queimar ou o disjuntor irá desarmar.

Continue lendo para aprender sobre as práticas de segurança que você deve observar quando estiver trabalhando no sistema de eletricidade da sua casa.