Como economizar energia em casa

Autor: 
Zolton Cohen

O que é "energia"? De onde vem? Como pagamos por ela? Quando você tiver as respostas para essa questões, saberá como usar os recursos da sua casa com mais eficiência. Nesse artigo discutiremos como usar a energia com inteligência, quando ligar e desligar a eletricidade e como usar gás natural, propano e óleo combustível da maneira mais eficiente possível.

Conceitos básicos do uso eficiente da energia

Manter as entradas e saídas de ar em vários lugares da casa fechadas ajuda a economizar energia. Isto é chamado "vedação de ar" e é uma das medidas mais importantes a tomar para aumentar a eficiência do isolamento térmico na sua casa.

Aumentar o nível de isolamento térmico da sua casa deve ser uma medida prioritária. O isolamento, em suas muitas formas, ajuda a conter a transferência de calor de um lugar para outro. Um bom exemplo disto é o isolamento do sótão. Uma camada grossa de isolante ajuda a deter o fluxo de calor da casa para o sótão durante o inverno. No verão, o mesmo isolamento ajuda a impedir a transferência de calor do sótão para os quartos embaixo.

Embora o isolamento e a vedação ajudem muito na redução das suas contas, ainda não é onde começa e termina a história do aproveitamento da energia. Existem muitas maneiras de economizar, que exigem apenas mudanças de hábito e estilo de vida.

A eletricidade aciona as luzes, eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos da sua casa. Também aciona o ar condicionado, aquecedores de água, ajuda a cozinhar a comida, a secar a roupa e, em algumas situações, no aquecimento de ambientes. Gás natural, propano e óleo são queimados principalmente para suprir calor para aquecimento de ar e água; os usos secundários para esses gases incluem cozinhar, secar roupas e combustível para a lareira.

Eletricidade: ela entra na casa através dos cabos elétricos tanto acima como abaixo da terra. Daí passa através do painel elétrico central que contém fusíveis ou disjuntores e é distribuída através da casa por condutores elétricos, tomadas e interruptores. A eletricidade é cobrada do usuário em quilowatts por hora (kWH). Cada kWH custa aproximadamente de R$ 0,8 a R$ 0,15, dependendo de onde você mora e das taxas da companhia elétrica.

Um quilowatt-hora é igual a mil watts de eletricidade usados durante uma hora. Para entender como os quilowatts são calculados, imagine uma lâmpada de 100 watts. Estando ligada por uma hora, ela consome 100 watts de eletricidade. Em 10 horas, consome o equivalente a um quilowatt (100 watts X 10 horas = mil watts ou um quilowatt). Manter aquela lâmpada acesa por 10 horas custa entre R$ 0,8 a R$ 0,15.

Gás natural: é entregue nas casas através de uma rede de encanamento subterrâneo. Depois de passar por um medidor fora da casa, é conduzido por canos metálicos menores até onde for necessário: a fornalha ou caldeira, o aquecedor de água ou a lareira a gás. O gás natural é cobrado do consumidor por m³ consumido.

Propano: também chamado gás liqüefeito de petróleo (GLP) é transportado por caminhões de uma companhia fornecedora de gás para um tanque de armazenagem na parte de fora da casa do usuário. A partir daí ele entra na casa através de um encanamento e é distribuído através de um sistema parecido ao do gás natural. O propano é cobrado por galão (4 litros).

Óleo: também transportado por caminhão, é bombeado para dentro de um tanque fora da casa e canalizado até os utensílios onde for necessário. Também é cobrado por galão.

É assim então que as fontes de energia chegam à sua casa e são faturadas. O que acontece depois disso, como você usa esse suprimento de energia, tem tudo a ver com o valor da fatura no final do mês. Cada vez que você acender a luz ou ligar a TV, usar a água quente ou acionar o ar condicionado ou a caldeira, estará consumindo energia.

Observe o termostato

Reduzindo a temperatura: em 1977, o presidente dos EUA, Jimmy Carter apareceu na televisão em rede nacional para o primeiro de uma série de discursos sobre energia. O país atravessava uma crise de petróleo e Carter aconselhou a "abaixar" os termostatos. Seu raciocínio era que, com a redução da temperatura dentro das casas, haveria economia de combustível.

As palavras do presidente Carter ainda hoje permanecem verdadeiras, depois de 30 anos: a melhor maneira de economizar energia é não usá-la tanto. E uma das melhores maneiras de reduzir o uso de combustível nos lares é simplesmente reduzir a potência do termostato.

Em virtude do aquecimento ser a maior despesa em energia em muitas casas, mesmo uma pequena economia de combustível faz uma grande diferença em relação a reduzir a conta dos serviços. Diminuir a potência do termostato em um grau durante o inverno pode acarretar uma redução no uso do combustível de 1 a 3%, e uma redução similar na conta do aquecimento.


/>

A fornalha ou caldeira precisa manter um diferencial de temperatura entre o interior e o exterior da casa para que ela se torne agradável. Em dias frios, essa diferença pode ser de 20º a 25º C (digamos, -6º C fora e 21º C dentro da casa). Sempre que o diferencial puder ser reduzido, mesmo um grau ou dois, o sistema de aquecimento será acionado menos freqüentemente e menos combustível será usado, o que resulta em economia. A desvantagem de reduzir o termostato é que logicamente a casa estará mais fria. Mas Carter ofereceu uma solução para isso: simplesmente use um suéter. Claro, isso faz sentido. Em vez de aumentar a temperatura geral em um ambiente grande, você pode simplesmente aumentar seu isolamento térmico pessoal, retendo o calor do corpo./>

/>

Este procedimento parecerá difícil no começo, mas com o passar do tempo seu corpo irá se acostumar à "nova" temperatura "normal" da sua casa e o uso de mais agasalhos será uma coisa corriqueira.

Aumentando a temperatura:

este conceito pode ser invertido para economizar energia durante os meses quentes. É um método efetivo para reduzir o custo de refrescar a casa usando o ar condicionado individual ou central./>

/>

Os mesmos princípios se aplicam: quanto menos temperatura diferencial entre o interior e o exterior o ar condicionado tiver que manter, menos freqüentemente o compressor será acionado e menos eletricidade será consumida, reduzindo a conta.

Em vez de ajustar o termostato até o ponto em que o ar condicionado torna a casa fria, tente reduzir a potência em alguns graus e use vestimentas apropriadas para a temperatura ligeiramente mais elevada. Você provavelmente nem notará a diferença. Como no caso do aquecimento, o aumento do termostato quando você estiver longe de casa irá reduzir o consumo de energia.

Feche os quartos vazios


/>

Se existirem quartos desocupados na sua casa, feche as portas desses quartos para reduzir a área total que o sistema de aquecimento ou ar condicionado precisa aquecer ou resfriar. Quando um filho mudar-se de casa para freqüentar a faculdade ou partes do porão não estiverem sendo usadas, isole essas áreas do resto da casa e isto significará menos demanda em termos de aquecimento e resfriamento e uma conta mais baixa. Quanto menos espaço precisar ser suprido com ar condicionado, menos freqüentemente os sistemas de aquecimento, ventilação e condicionamento de ar (HVAC) precisarão operar.

/>

Fique embaixo dos cobertores


/>

Muitas pessoas preferem "dormir no frio" e não se importam em reduzir o termostato para 12º ou 15ºC à noite. Algumas até mesmo desligam completamente o aquecimento dentro do quarto e dormem com as janelas abertas. Aqueles que não têm problemas com alterações tão dramáticas são capazes de reduzir substancialmente o consumo de combustível durante à noite, já que o sistema não precisa manter uma grande temperatura diferencial entre o interior e exterior.

/>

Para aqueles não tão inclinados a isso, há meios disponíveis para se manter aquecido embaixo dos cobertores, mesmo quando a temperatura do termostato foi diminuída. Cobertores com enchimento natural ou sintético proporcionam isolamento com pouco peso. E as mantas elétricas geram calor com um custo de eletricidade baixo.

Os meses do inverno podem trazer com eles altas contas de aquecimento, mesmo para aqueles que mantém suas casas mais para o lado do "frio". No verão o condicionamento de ar pode fazer aquelas contas de luz subirem aos céus. Na próxima seção veremos como manter os custos de aquecimento baixos em todas as estações.