Técnicas de preparação de solo

Autor: 
C. Burrell

Além das exigências químicas de fertilização, você também vai querer garantir o suprimento do seu jardim de ervas com os nutrientes corretos.

Fertilizando seu jardim: um programa de dois estágios

  1. Fertilização à mão.

    Quando você estiver preparando o solo para a plantação da primavera, aplique um fertilizante completo (como um 10-10-10) por igual, em todo o jardim, de acordo com as recomendações do teste do solo. Não use fertilizante em excesso. Espalhar com a mão ajuda a manter o trabalho limpo enquanto se distribui os grânulos. Mexa o fertilizante no solo com uma pá e amacie a superfície preparando-a para o plantio. Este primeiro passo da fertilização servirá para o período inicial de crescimento das suas ervas e vegetais. Na metade da época de crescimento, as plantas terão usado boa parte dos nutrientes do solo e você precisará repor estes nutrientes.

  2. Adubação.

    Como os nutrientes foram usados pelas plantas, uma segunda dose de fertilizantes será necessária para suprir as plantas com elementos essenciais ao restante da época de crescimento. Use o mesmo fertilizante completo na mesma proporção usada na primavera, mas desta vez aplique ao lado das plantas. Com uma enxada, faça uma vala de 10 cm de profundidade ao longo de um dos lados da fileira, cuidando para não atingir as raízes das plantas. Aplique o fertilizante na vala, e então cubra-a com o solo que você removeu. A chuva e a irrigação irão fazer com que o fertilizante penetre no solo, tornando-o disponível para as plantas.

O plano de reciclagem do jardineiro

O adubo composto do quintal é a forma ideal de se reutilizar a maioria dos resíduos da sua cozinha e de seu jardim e obter muitos benefícios. A compostagem é basicamente uma maneira de acelerar o processo natural de decomposição pelo qual as partículas dos materiais orgânicos são quebradas e seus componentes devolvidos ao solo. O processo de decomposição acontece naturalmente, mas é lento. A proximidade, umidade e circulação de ar de um adubo composto incentiva este processo. Este processo converte as plantas e outros resíduos orgânicos em um húmus solto, parecido com uma turfa, que oferece nutrientes para cultivar as plantas e aumenta a habilidade do solo de controlar a água.

Isto pode ajudar você a economizar o dinheiro que gastaria em fertilizantes e condicionadores de solo. Além disso, você economiza tempo, uma vez que terá um lugar para colocar os restos de grama cortada, ervas daninhas e outros entulhos de jardim.

Ao plantar um jardim de ervas, lembre-se de fazer o composto.
2006 Publications International, Ltd.
Este adubo composto tem muitos usos em um jardim de vegetais

Os resíduos do jardim podem ser transformados em um bom adubo composto em menos de um ano se forem adequadamente cuidados. Quando o adubo estiver pronto, poderá ser usado para várias coisas: pode ser adicionado ao solo dos vasos para começar com as sementes do jardim em lugares fechados; também pode ser usado como uma cobertura para proteger as raízes do sol quente e seco do verão. O adubo também é um material excelente a ser incorporado ao solo do jardim para ajudar no controle da umidade: aumentando a capacidade de retenção de água em solos arenosos ou melhorando a drenagem em solos de argila. Quanto mais matéria orgânica você acrescentar, melhor vai ficar a textura do solo. Misture o adubo composto ao solo a uma profundidade de 30 cm, garantindo que esteja igualmente espalhado por toda a área de plantio. Quando o composto for acrescentado ao solo, ele vai absorver um pouco do seu nitrogênio. Para compensar isto, use fertilizante orgânico ou inorgânico e trabalhe o solo com o composto.

Com exceção de materiais carregados de peste ou materiais que tenham sido tratados com herbicidas, quase qualquer tipo de resíduo de jardim pode ser transformado em adubo. Você também pode usar resíduos da cozinha como cascas de vegetais e frutas, grãos de café, folhas de chá e cascas de ovo. Não use produtos derivados de carne ou alimentos gordurosos, que tendem a cheirar mal e atrair animais. Os compostos devem ser mantidos úmidos, mas não encharcados, e devem ser supridos com um fertilizante de nitrogênio (esterco, sangue seco, farinha de ossos ou fertilizantes comerciais) para manterem os microorganismos ativos e se obter uma decomposição mais rápida.

Os adubos compostos se formam assim que os resíduos são quebrados pelos microorganismos no solo. Estes microorganismos não criam nutrientes; eles apenas quebram as partículas de materiais complexos, transformando-as em moléculas simples para serem usadas pela planta. Os microorganismos do solo agem mais quando a temperatura do solo está acima de 15ºC, e a maioria deles trabalha melhor em um ambiente úmido e levemente alcalino. Os microorganismos trabalham mais rápido em pedaços pequenos de material orgânico.

Há dois tipos básicos de microorganismos: os que precisam de ar para trabalhar (aeróbicos) e os que não precisam de ar (anaeróbicos). É possível formar compostos em um recipiente onde não circule ar graças aos microorganismos que não precisam de ar. Uma lata de lixo bem coberta pode converter uma enorme quantidade de resíduos de cozinha em adubo composto durante um inverno. O adubo composto clássico, que fica ao ar livre, deve ser misturado regularmente (uma vez a cada duas semanas) com uma pá para fornecer ar aos microorganismos que precisam.

Há vários equipamentos para compostagem no mercado. Cada um tem suas vantagens, mas um adubo composto não precisa de muitos detalhes para funcionar bem. Pode ser usada uma caixa simples feita de blocos velhos, madeira ou material de cercas. Colocada separadamente, mas não muito longe do jardim, a caixa pode ser quadrada, retangular ou redonda. Deve ter um diâmetro de 1,5 m e uma altura de cerca de 90 cm.

Há quase tantos métodos de se fazer compostos quanto o número de jardineiros. Siga estes passos básicos para que a compostagem seja um sucesso.

Como começar uma compostagem

  1. Comece com uma pilha de folhas de 6 a 12 cm ou mais de material compacto, tais como grama cortada ou serragem. Você pode fazer composto com feno, palha, cascas e sobras de árvores (com exceção de nogueira). No entanto, a menos que estejam fragmentadas, levarão muito tempo para se decompor. Use qualquer resíduo orgânico do jardim ou da cozinha (exceto pedaços de carne) que não contenha pesticidas ou doenças.
  2. Sobre esta pilha inicial, espalhe uma camada de fertilizante. O nitrogênio vai ajudar a ativar os microorganismos, que vão aumentar a velocidade de decomposição dos materiais orgânicos. Acrescente cerca de 1/2 xícara de pedra calcária moída (a maioria dos microorganismos gostam de ambiente doce). Então acrescente várias pás cheias de terra de jardim, que por sua vez vai fornecer uma colônia inicial de microorganismos. É mais prático ter um pequeno monte de terra por perto quando você começar a compostagem.
  3. Regue bem o composto. Ele deve ser mantido bem úmido, como uma esponja espremida. Continue a acrescentar resíduos do jardim ao topo da pilha assim que estiverem disponíveis. Quando as camadas se tornarem mais grossas e compactas, repita as camadas de fertilizante, limo e solo.
  4. A cada duas semanas, misture o material em decomposição com uma pá. Isto vai garantir que todos os componentes do material vegetal, não apenas o centro, se aqueçam. Quando a temperatura do composto aumenta, as sementes das ervas daninhas e os organismos causadores de doenças prejudiciais morrem, e o processo de decomposição não será demorado.

Agora que seu solo está pronto para as ervas, vamos falar sobre como plantá-las e cultivá-las.