Cães de raça e mestiços

Autor: 
Hannah Harris

Cães de raça pura representam populações geneticamente fechadas. Muitos cães de uma única raça são geneticamente parecidos uns com os outros. Uma análise genética de cinco raças de cães mostrou uma grande diversidade genética presente nos Golden Retrievers (raça relativamente comum), mas muito pouca diversidade nos Akitas. Não há tantos Akitas para escolher, então todos têm um grau de parentesco. Uma criação fechada significa que os cães de raça pura são uniformes em aparência. Também significa que é difícil escapar de problemas genéticos, porque muitos cães dessa população fechada têm os mesmos ancestrais.

Um Akita Japonês
Imagem cedida por Rodrigo Ambrozini/ SXC
Um Akita Inu Branco ou Akita Japonês

Um cão "puro" não significa necessariamente alta qualidade, saúde ou um bom exemplar da raça. Alguns filhotes de pais de excelente qualidade podem ser mais próximos do padrão do que outros. E muitos cães puros podem ter problemas sérios de saúde.

Com o advento da clonagem, o futuro da criação de cães poderá tomar outro rumo. Em 2005, pesquisadores sul-coreanos relataram que tinham clonado um Afghan hound macho com sucesso, para criar um cão geneticamente idêntico chamado Snuppy (que significa Soeul National University Puppy - filhote da Universidade Nacional de Seul). Para saber mais sobre clonagem, veja Como funciona a clonagem.

A última moda na criação de cães são os chamados mestiços programados. Um animal de uma raça é cruzado com um animal de uma raça diferente, na esperança de capturar as melhores qualidades de cada uma delas e, até mesmo, de eliminar alguns problemas. Os cruzamentos mais comuns são entre cães Retrievers, como os Labradores, e Poodles gigantes. Esses "Labradoodles" têm supostamente a natureza amigável e gentil dos Retrievers e a característica de não perder pêlos do Poodle.

Um Labradoodle F1
Imagem cedida por Derek Ramsey
Um Labradoodle F1 (primeira geração)

Gregório Mendel (1822-1884) desenvolveu as leis básicas da genética fazendo cruzamentos entre ervilhas com qualidades diferentes - ervilhas verdes ou amarelas, de plantas altas ou baixas, etc. Os mesmos princípios, chamados genética mendeliana, também se aplicam aos cães. O cenário genético mais básico é quando um gene em um locus específico determina cada característica (a localização de um determinado gene é chamada locus do gene).

Outro Labradoodle F1

Outra variação de um Labradoodle F1

Uma pelagem lisa ou crespa, por exemplo, pode ser determinada por duas versões diferentes do mesmo gene. Essas versões alternativas, que diferem muito pouco em sua seqüência de DNA, são chamadas alelos. Um cão herda um alelo de cada um dos pais no locus de tipo de pelagem. Esses alelos podem ser os mesmos ou diferentes. Se forem os mesmos, o indivíduo é homozigoto naquele locus. Se forem diferentes, o indivíduo é heterozigoto (veja a seção "Entendendo a herança código genética" em Como funcionam as heranças genéticas para mais detalhes).

Cães de raças fechadas tendem a ser homozigotos no locus que determina o tipo de pelagem. Se você cruzar um cão homozigoto para um tipo de pelagem com outro que seja homozigoto para outro tipo de pelagem, terá uma ninhada totalmente heterozigota naquele locus. Na verdade, a herança genética para tipo de pelagem pode ser bem mais complicada do que a representada pela simples herança mendeliana, mas o princípio básico é o mesmo. Todos os Labradoodles da ninhada terão pelagem parecida (neste caso, ondulada e que não perde pêlos), como resultado da combinação de dois alelos diferentes de seus pais.

Porém, não há a possibilidade de cruzar dois Labradoodles e ter uma ninhada deles, porque essa não é uma raça pura, você estaria cruzando dois heterozigotos. Neste caso, teria alguns filhotes mais parecidos com Labradores e alguns mais parecidos com Poodles ou qualquer coisa entre os dois. Isso acontece porque são mestiços cruzados com mestiços e não dois indivíduos puros. Outra coisa a ser lembrada é que problemas hereditários, como a displasia de quadril, estão presentes em ambas as raças e não são eliminadas pelo cruzamento delas.

Raças brasileiras

  • Fila Brasileiro: o fila brasileiro teria sido trazido ao Brasil pelos portugueses e espanhóis e pode-se encontrar nele características de suas raças formadoras (como o olhar tristonho do Bloodhound, o temperamento do Bulldog e a compleição física do Mastiff). Foi a primeira raça brasileira a ser reconhecida pela FCI (Federation Cynologique Internationale).
  • Buldogue Campeiro: teve sua origem no Buldogue inglês do tipo antigo, introduzido no Brasil pelos imigrantes europeus, no século XIX. Reconhecido pelo FCI./>
  • Terrier Brasileiro ou Fox Paulistinha: tem sua origem nos diversos Fox trazidos da Europa no começo do século XX. Está com homologação provisória no FCI.
  • Dogue Brasileiro ou Bull Boxer: a mistura perfeita entre a docilidade do Boxer e a coragem do Bull Terrier. Está com homologação provisória no FCI.
  • Ovelheiro Gaúcho: foi desenvolvido no Rio Grande do Sul a partir da raça Collie e também de Border Collies sem qualquer planejamento, ao acaso, pela necessidade do peão gaúcho de ter um cão que o ajudasse no árduo trabalho nas fazendas da região. Tem homologação provisória no FCI.
  • Veadeiro Pampeano ou Veadeiro Brasileiro: há uma hipotése de que ele ele seria um cão nativo da América do Sul, hipótese apoiada no fato deste cão poder ser encontrado em várias regiões do Brasil e também em diversos outros países da América do Sul. Também está com homologação provisória no FCI.

     


De raça de trabalho a cão de companhia
As raças de cães foram criadas por razões diferentes. Alguns foram criados para serem companhias. Outros, para serem "cães de colo". Em contraste, algumas raças foram criadas seletivamente para pastorear ovelhas, para corridas ou para puxar trenós.

Cães puxando um trenó
Imagem cedida por Roy White/ SXC
Cães puxando um trenó em New Hampshire

Um Pastor Australiano que nunca viu uma ovelha, ainda assim, tentará pastorear. Dálmatas foram criados incrivelmente resistentes, de maneira que pudessem correr o dia todo ao lado das carruagens. Mas isso também significa que não ficam satisfeitos com uma volta rápida no quarteirão. Rottweilers foram criados para arrebanhar o gado, usando sua estrutura poderosa para tocar as vacas pela estrada até o mercado. 

Dálmata
Imagem cedida por Emily Roesly/MorgueFile
Dálmatas são cães muito ativos e precisam de muito exercício

Criar cães não é uma tarefa fácil e é importante pesquisar qual é o cão certo para você. Veremos isso na próxima seção.